domingo, 9 de agosto de 2020

Quiz 03: PORT. - 1ª Série (Ens. Médio)

Quiz 03: PORTUGUÊS - 1ª Série - Ensino Médio
Quiz 03: PORTUGUÊS - 1ª Série - Ensino Médio

Leia o texto I, a seguir, e responda aos itens 01, 02 e 03.

TEXTO I

Geraldinho: os casos que Goiás amava ouvir

Rogério Borges

    Um cigarrinho de palha sempre à mão, um jeito doce de brincar com o palavreado do homem do campo e uma risada inconfundível. Quem viveu em Goiás na década de 1980, certamente, deparou-se em algum momento, com essa figura carismática, que arrebatava plateias de todas as classes e sociais e idades. Geraldinho Nogueira era uma espécie de xodó do Estado, talvez por exatamente simbolizar muito de nossa cultura mais genuína, de uma simplicidade que caíra de moda, mas que ainda guardávamos em nossa memória afetiva, em nossas raízes profundas.

    O contador de causos mais famoso que Goiás já teve foi descoberto por acaso pelo publicitário Hamilton Carneiro, apresentador do programa Frutos da Terra, na época exibido na TV Anhanguera. [...]

    Era um talento em estado bruto, que precisava ser lapidado, mas não muito. “Ele não poderia deixar de ser quem era, aquela autenticidade. Ele precisava preservar isso”, salienta Hamilton Carneiro. [...]

    Entre sua descoberta artística e sua morte, Geraldinho viveu uma década fora do anonimato. Sua saborosa risada se calou em 1993, poucos dias de completar 80 anos.

BORGES, Rogério. Geraldinho: os casos que Goiás amava ouvir. O Popular, 29 mar. 2018. Disponível em: https://tinyurl. com/GEPROMLPI582. Acesso em: 08 jul. 2021.

01
(Seduc - GO).

O assunto abordado no texto é sobre a

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Fonte da resolução: ???.)


02
.

Quanto ao gênero textual, considera-se que é

A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ???.)


03
.

O texto “Geraldinho: os casos que Goiás amava ouvir” tem uma sequência, predominantemente,

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ???.)


Leia o texto II, a seguir, e responda aos itens 04 a 09.

TEXTO II

Geraldinho: causo da Namoradinha

    [...]

    “E desses meninos cantá essa folia aí, rapaz, eu lembrei de um passado meu... mas eu vô principiaro trem do começo. (risos)...Uai, rapaz, no tempo d’eu moleque, novo. Então, tinha um vizinho lá, que criou uma menina bonitinha. E aquilo, sô; nós era vizinhos assim pertinho...todo dia a gente tava se encontrando, e aí, rapaz... eu garrei a engambelar ela... e ela deu de inclinar pra minha banda também. E aí, sô, aquela amizade foi aumentando, foi crescendo [...] E deu até da gente breganhar uns arrocho... E aí quando deu nessa posição eu assombrei, rapaz... porque nesse tempo o trem era perigoso, porque eu tinha uma outra que eu zelava dela pra casamento mesmo. [...] Aí eu fiquei com medo da outra saber daquela massaroca, apertei e pedi o casamento logo, e casemo e juntemo os trapos e mudamos para longe...” [...]

FRUTOS DA TERRA. Geraldinho: causo da Namoradinha. Youtube, 2 fev. 2017. Disponível em: https://tinyurl.com /GEPROMLPI583. Acesso em: 04 jul. 2021.

04
(Seduce - GO).

No “Causo da Namoradinha”, Geraldinho relata uma situação já acontecida, evidenciada pelos verbos apresentarem-se no tempo, predominantemente,

A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ???.)


05
.

O causo tem o personagem narrador, isso indica que foi narrado em

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ???.)


06
.

Ao ler o causo, identificamos marcas de coloquialidade, o que evidencia uma variedade linguística

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Fonte da resolução: ???.)


07
(Seduc-GO).

“Então, tinha um vizinho .”

No trecho, o advérbio destacado indica

A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ???.)


08
.

“[...] e ela deu de inclinar pra minha banda também”.

No trecho, a conjunção e o advérbio destacados (em negrito) dão ideia de

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Fonte da resolução: ???.)


09
.

“Uai, rapaz, no tempo d’eu moleque novo.”

No trecho, pode-se afirmar a respeito da palavra destacada a indicação de

A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ???.)


TEXTO III

Leia o texto III, a seguir, e responda aos itens 10, 11 e 12.


10
(Seduce - GO).

A charge aborda um assunto muito atual, sendo

A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ???.)


11
.

Sobre a charge, é possível entender que a intenção do gênero textual é estabelecer uma

A
B
C
D
E

    Alternativa "D".

(Fonte da resolução: ???.)


12
.

O entendimento acontece com a leitura integral do texto, composto pela linguagem

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Fonte da resolução: ???.)




sábado, 1 de agosto de 2020

Quiz 02: PORT. - 1ª Série (Ens. Médio)

Quiz 02: PORTUGUÊS - 1ª Série - Ensino Médio
Quiz 02: PORTUGUÊS - 1ª Série - Ensino Médio

01
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Leia o texto a seguir e responda.

Para leitor, não há motivo para impedir uso de bermuda no trabalho

    [...] Quando estive no Brasil, em março de 2013, fiz uma visita à usina de Itaipu. Durante a visita, o guia por diversas vezes reclamou do calor intenso e do fato de estar usando calças. Entretanto, o trabalho dele consistia em entrar e sair de um ônibus. Não consegui ver um bom motivo pelo qual ele não poderia usar bermudas.

    Ao final do tour, o abordei e perguntei qual a razão de ele não poder trabalhar de bermuda. Ele disse não saber. [...] Após nossa conversa preenchi o formulário com o feedback do tour e expus minha opinião sobre o assunto.

    O fato de a maioria das empresas brasileiras obrigar os funcionários a usar calça é no mínimo ilógico. Somos um país tropical que importou os costumes de vestimenta oriundos de países europeus, de clima temperado. [...]

    Como seria bom se mais empresários brasileiros tivessem a coragem de começar a mudar esse panorama e desenvolver uma cultura “made in Brazil”. Só vejo benefícios nisso:

    1) É mais confortável para os funcionários, que não têm que assar quando estão em trânsito [...].

    2) É mais barato para as empresas, pois poderiam ajustar os equipamentos de ar-condicionado cerca de 2ºC ou 3ºC mais quente. [...]

    3) É melhor para a sociedade, pois o consumo de energia com equipamentos de ar-condicionado é reduzido.

    Lembrando que não usar calça não significa andar esculhambado. É muito possível usar bermuda e camisa e estar alinhado. Só requer um pouco de boa vontade das empresas em escrever manuais de conduta.

    Apoio essa ideia, mesmo não morando mais no Brasil. [...]

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/ paineldoleitor/meuolhar/2014. Acesso em: 3 dez. 2014. Fragmento.

Um argumento utilizado pelo autor para defender seu posicionamento está no trecho:

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia os textos a seguir e, responda as questões 02, 03, 04 e 05.

02
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Texto 1

Gato de Botas

    Gato de Botas é [...] um spin-off da franquia Shrek [...]. É um filme divertido que supera em muito Shrek Terceiro e Shrek Para Sempre [...].

    A história se passa num período antes das aventuras do Reino de Tão, Tão Distante – e num lugar diferente, também. Ambientado num fantasioso norte do México, o filme conta a origem do seu personagem e insere outros elementos dos contos de fada.

    [...] Grande parte da graça do filme (se for visto com seu áudio original, claro) se deve à dublagem de Antonio Banderas, que está se esbaldando em fazer um personagem ora farsesco, ora sedutor, ora dramático. [...]

    A trilha sonora do novato Henry Jackman é de enorme qualidade, misturando elementos musicais mexicanos com os cânones da música cinematográfica.

Disponível em: http://www.jornalnh.com.br/blogs/ setima-das-artes/361488/resenha- gato-de-botas.html. Acesso em: 22 dez. 2011.

Texto 2

Gato de Botas

    A ideia de levar às telas o personagem Gato de Botas em voo solo se mostrou acertada. O carismático gato dublado por Antonio Banderas, que roubou a cena em Shrek 2, é uma bem-vinda adição ao rol das boas animações. O diretor Chris Miller criou um universo particular para o herói felino, completamente diferente da ambientação de Shrek. O resultado é um filme com bom timing cômico, bem escrito e tecnicamente impecável.

    No longa, o gato [...] divide a cena com seu par romântico, Kitty Pata-Mansa (Salma Hayek), e o velho amigo/inimigo Humpty Dumpty (Zach Galifianakis). Aqui temos um ponto positivo do roteirista Tom Wheeler, que deu espaço a estes dois coadjuvantes interessantes e não centralizou as atenções no Gato de Botas [...].

    Gato de Botas é uma aventura agradável, uma deliciosa brincadeira cujo enredo mostra os personagens centrais num esforço para roubar os feijões mágicos do engraçado casal de vilões Jack e Jill e, com eles, chegarem ao Ganso dos Ovos de Ouro.

Sobre o filme Gato de Botas, esses dois textos aprsentam opiniões

A
B
C
D
E

    A questão traz duas resenhas críticas que convergem em opinião sobre o filme analisado. Com isso, se faz necessária a leitura no sentido de identificar as opiniões dos autores e, assim, perceber as convergências entre elas.

   Portanto, alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


03
No Texto 2, no trecho “... que roubou a cena em Shrek 2,...” (ℓ. 3), a expressão destacada tem o sentido de
A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Fonte da resolução: ??.)


04
No Texto 1, no trecho “Grande parte da graça do filme (se for visto com seu áudio original, claro)...” (3º parágrafo), os parênteses foram usados para
A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


05
o trecho do texto 1 que apresenta uma opinião é:
A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia o texto a seguir e, responda as questões 06 e 07.

06
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

De onde vieram os tomates?

    A história do tomate é cheia de rumores, boatos e especulações, mas uma coisa é certa: essa fruta vermelha favorita de muita gente (sim, o tomate é uma fruta) não tem sua origem na Itália. Apesar do fato de ser um ingrediente essencial para massas, pizzas e saladas, o tomate é originário do México e da América Central.

    O tomate em sua forma original, no entanto, não tinha nada a ver com esse globo vermelho que nós conhecemos e adoramos hoje em dia. Tratava-se de uma pequena fruta perfumada (imagine algo como o tomate cereja) que os grupos nativos americanos combinavam com “ahi”, um tipo de pimenta para fazer um molho bem temperado. Embora os nativos americanos o tenham consumido por séculos, os tomates rapidamente ganharam uma má reputação nas Américas. Os colonizadores acreditavam que o tomate era venenoso e nenhum ascendente europeu se atreveu a comer a fruta até o início do século 19 – com medo de morrer.

    Na verdade, credita-se à Fundação Americana Padre Thomas Jefferson o início do cultivo de tomate para consumo nos Estados Unidos. Os registros de Jefferson contam que ele plantava a fruta todos os anos em seu “Garden Kalendar” que manteve de 1809 a 1824. Talvez essa seja a primeira referência escrita do cultivo de tomate pelos colonizadores do Novo Mundo [...]. Seus registros meticulosos indicavam que ele frequentemente vendia seus tomates em mercados de Washington, além de apresentar diferentes usos para o mesmo em sua coleção pessoal de receitas.

Disponível em: http://lazer.hsw.uol.com.br/origem-tomates.html. Acesso em: 13 jan. 2011. fragmento.

De acordo com esse texto, o tomate tinha má reputação, porque

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


07
A finalidade desse texto é
A
B
C
D
E

    Alternativa "D".

(Fonte da resolução: ??.)


08
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Leia o texto e responda.


O humor desse texto está no fato de

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia o texto a seguir e responda as questões 09 e 10.

09
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Pela janela

    Quando eu percebi que a Milena estava olhando para mim, lá do outro lado da classe, virei o rosto para a lousa, onde a professora acabava de escrever uma pergunta. Antes do recreio, a gente tinha assistido A guerra do fogo e agora estávamos em grupos de quatro, fazendo um trabalho sobre o filme.

    A história se passava na Idade da Pedra, não tinha falas, só grunhidos saindo das bocas dos homens das cavernas. [...]

    Em torno da minha mesa estavam Geandré, o Walter, o Duílio e eu. Estávamos sentados próximos à janela, de onde eu podia ver os menores correndo, lá embaixo. [...] Olhei para Milena, bem rápido, ela estava me olhando, de novo, mas virou o rosto, quando me viu. No dia anterior, a Milena passou por mim, na saída e, sem me olhar, pôs um papel dobrado na minha mão. De um lado estava escrito “De Milena” e no outro “Para Rodrigo”.

    Eu coloquei o papel no bolso e só tive coragem de ler quando cheguei em casa, depois de mais de uma hora na perua, com ele queimando no meu bolso.

PRATA, Antônio. Carta fundamental. set. 2009.

Quem é o narrador desse texto?

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Fonte da resolução: ??.)


10
No trecho “Antes do recreio, a gente tinha assistido...” (1° parágrafo), a expressão destacada é característica da linguagem
A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia o texto a seguir e responda as questões 11 e 12.

11
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

    Geralmente, quando uma pessoa exclama Estou tão feliz!, é porque engatou um novo amor, conseguiu uma promoção, ganhou uma bolsa de estudos, perdeu os quilos que precisava ou algo do tipo. Há sempre um porquê. Eu costumo torcer para que essa felicidade dure um bom tempo, mas sei que as novidades envelhecem e que não é seguro se sentir feliz apenas por atingimento de metas. Muito melhor é ser feliz por nada.

    Digamos: feliz porque maio recém começou e temos longos oito meses para fazer de 2010 um ano memorável. Feliz por estar com as dívidas pagas. Feliz porque alguém o elogiou. [...]

    Esquece. Mesmo sendo motivos prosaicos, isso ainda é ser feliz por muito.

    Feliz por nada, nada mesmo?

    Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. [...]

    Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando “realizado”, também. Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma.

    Consciência. É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio [...]. Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo.

    Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem. [...]

    Ser feliz por nada talvez seja isso.

MEDEIROS, Martha. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2015. Fragmento.

O trecho que apresenta a ideia defendida nesse texto é:

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Fonte da resolução: ??.)


12
Nesse texto, no trecho “Estando triste, felicíssimo igual.” (6º parágrafo), a terminação “-íssimo” na palavra destacada sugere
A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ??.)




Quiz 01: PORT. - 1ª Série (Ens. Médio)

Quiz 01: PORTUGUÊS - 1ª Série - Ensino Médio
Quiz 01: PORTUGUÊS - 1ª Série - Ensino Médio

Leia os textos a seguir e, responda as questões 01 e 02.

01
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Texto 1

Estudo mostra que golfinhos têm memória de elefante

    Os golfinhos são capazes de reconhecer um semelhante mesmo depois de 20 anos de separação, demonstrou um estudo que [...] atribui a estes mamíferos marinhos a mais longa memória social já registrada em animais.

    Os elefantes têm a fama de nunca esquecer um dos seus, mas ela se baseia unicamente em “indícios anedóticos”, destacou o autor do estudo, Jason Bruck, da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos.

    Seu trabalho se apoia no reconhecimento de longo prazo entre os golfinhos de [...] um assobio característico, que [...] torna cada indivíduo imediatamente identificável por seus semelhantes. [...] Seu estudo se baseou em 43 golfinhos alojados em 6 jardins zoológicos ou parques aquáticos diferentes [...].

    A experiência que se seguiu consistiu em fazer os golfinhos ouvirem gravações dos assobios de seus semelhantes. O resultado demonstrou que os animais reagiram durante mais tempo quando ouviram assobios familiares, ou seja, aqueles dos golfinhos com os quais tiveram contato, mesmo que anos atrás. [...]

    Segundo o autor do estudo, [...] os golfinhos demonstraram um nível de reconhecimento “muito comparável à memória social do homem”.

    Este tipo de reconhecimento pode, inclusive, ser mais duradouro entre os golfinhos do que entre os humanos, acrescentou, porque o assobio do golfinho permanece estável por várias décadas, enquanto o rosto humano muda com o passar do tempo.

    Não se sabe, entretanto, por que os golfinhos têm uma memória social tão longa, já que [...] estes animais têm uma expectativa de vida média de 20 anos [...].

Disponível em: http://migre.me/m10A6. Acesso em: 25 set. 2014. Fragmento.

Texto 2

Os elefantes têm boa memória?

    Se você lembra as datas de aniversários de todos seus amigos, os números dos seus documentos, [...] não estranhe se alguém comparar sua memória à de um elefante. Não se trata de uma referência ao tamanho do bicho, mas, sim, uma menção a um animal reconhecido pela sua grande capacidade de guardar informações.

    A habilidade dos elefantes de memorizar foi forjada pelas exigências de seu modo de vida, segundo o professor de neurofisiologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP) Gilberto Xavier. Acostumados a percorrer grandes áreas, os elefantes desenvolvem uma precisa memória espacial que permite recordar exatamente onde encontrar água e comida, mesmo depois de andar centenas de quilômetros. [...]

    A memória prodigiosa dos elefantes reflete o processo que faz os animais terem melhor ou pior memória, conforme Xavier. Para ele, não é possível apontar se uma espécie tem capacidade melhor do que outra, já que são as condições de vida que fazem um animal aprimorar essa habilidade. [...]

Disponível em: https://goo.gl/lmii3r. Acesso em: 26 set. 2014. Fragmento.

Uma informação comum a esses textos é a

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


02
A informação principal do Texto 1 está no trecho:
A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


03
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Leia o texto a seguir e responda.


DAVIS, Jim. Disponível em: http://f.i.uol.com.br/ folha/cartum/imagens. Acesso em: 9 jul. 2014.

Nesse texto, o homem oferece um doce ao gato porque

A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia o texto a seguir e, responda as questões 04 e 05.

04
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Domingão

    Domingo, eu passei o dia todo de bode. Mas, no começo da noite, melhorei e resolvi bater um fio para o Zeca.

    — E aí, cara? Vamos no cinema?

    — Sei lá, Marcos. Estou meio pra baixo...

    — Eu também tava, cara. Mas já estou melhor.

    E lá fomos nós. O ônibus atrasou, e nós pagamos o maior mico, porque, quando chegamos, o filme já tinha começado. [...]

    Saímos de lá, comentando:

    — Que filme massa!

    — Maneiro mesmo!

    Mas já era tarde, e nem deu para contar os últimos babados pro Zeca. Afinal, segunda-feira é dia de trampo e eu detesto queimar o filme com o patrão. Não vejo a hora de chegar o final de semana de novo para eu agitar um pouco mais.

CAVÉQUIA, Márcia Paganini. disponível em: http://migre.me/rP9xe. Acesso em: 16 out. 2015.

Nesse texto, a história tem início quando

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


05
Nesse texto, no trecho "Mas, no começo da noite, melhorei..." (1º parágrafo), a palavra destacada apresenta ideia de
A
B
C
D
E

    Alternativa "D".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia o texto a seguir e, responda as questões 06 e 07.

06
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Quanta pressa!

    Como vc é apressada! Não lembra que eu disse antes de vc viajar que eu ia pra fazenda do meu avô? Quem mandou não dar notícias antes d’eu ir pra lá?!?!?!:—O

    Vc sabia. Eu avisei. Vc não presta atenção no que eu falo?

    Quando ficar mais calma eu tc mais, tá legal?

    :—*

    Mônica

PINA, Sandra. Entre e-mails e acontecimentos. São Paulo: Salesiana, 2006. Fragmento.

Nesse texto, predomina a linguagem característica do meio

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Fonte da resolução: ??.)


07
Nesse texto, "Quem mandou não dar notícias antes d'eu ir pra lá?!?!?!", a pontuação empregada segere
A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia o texto a seguir e, responda as questões 08 e 09.

08
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

    O ciclone só se forma sobre mares de água quente. Quando ele acontece no oceano Pacífico, recebe o nome de tufão e, quando surge no oceano Atlântico, é chamado furacão.

    Nessas regiões do planeta, o calor faz com que muita água do mar evapore e se formem nuvens imensas. A evaporação intensa causa alterações na pressão do ar e ele se desloca das zonas de alta pressão para outras de pressão menor, provocando chuvas e ventos fortes, com velocidades que ultrapassam os 200 quilômetros por hora. No meio das nuvens, fica o olho do furacão, uma área bem quente, sem chuvas ou ventos. É por ali que a água evapora cada vez mais, alimentando o redemoinho que se forma ao redor. Se o ciclone chega à terra firme, vai perdendo força e se dissipa, mas, antes, pode formar ondas de até 15 metros e causar destruição.

Recreio. jun. 2006.

Na frase "... e ele se desloca ..." (2° parágrafo), o pronome destacado está se referindo a

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


09
Qual é o assunto desse texto?
A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Fonte da resolução: ??.)


Leia o texto a seguir e, responda as questões 10 e 11.

10
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Segunda-feira, 15 de junho de 1942

    Minha festa de aniversário foi no domingo à tarde. O filme de Rin Tin Tin fez o maior sucesso entre minhas colegas de escola. Ganhei dois broches, um marcador de livros e dois livros.

    Vou começar dizendo algumas coisas sobre minha escola e minha turma, a começar pelos alunos.

    Betty Bloemendaal [...] mora numa rua que não é muito conhecida, no lado oeste de Amsterdã, e nenhuma de nós sabe onde fica. Ela se dá muito bem na escola, mas é porque estuda muito [...]. É muito quieta.

    Jacqueline van Maarsen é, talvez, minha melhor amiga, mas nunca tive uma amiga de verdade. No começo, achei que Jacque seria uma, mas estava redondamente enganada.[...]

    Henry Mets é uma garota legal, tem um jeito alegre, só que fala em voz alta e parece mesmo uma criança quando estamos brincando no pátio. [...]

    Hanneli Goslar [...] é meio estranha. Costuma ser tímida — expansiva em casa, mas reservada quando está perto de outras pessoas. Conta para a mãe tudo que a gente diz a ela. Mas ela diz o que pensa, e ultimamente passei a admirá-la bastante. [...]

    Nannie van Praag-Sigaar é pequena, engraçada e sensível. Apesar de só ter 12 anos, é a própria lady. Age como se eu fosse um bebê. Além disso, é muito atenciosa, e eu gosto dela. [...]

FRANK, Anne. O diário de Anne Frank. Rio de Janeiro: BestBolso, 2010. Fragmento.

De acordo com a autora desse texto, Nannie van Praag-Sigaar é

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


11
Nesse texto, há um fato no trecho:
A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Fonte da resolução: ??.)


12
(SEDUCE-GO - A.D. - 2021).

Leia o texto a seguir e responda.


Disponível em: http://migre.me/fFPzv. Acesso em: 2 ago. 2013.

De acordo com esse texto, são necessários 70 litros de água para

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Fonte da resolução: ??.)