sexta-feira, 31 de março de 2017

Quiz 38: PORT. - 3ª Série (Ens. Médio)

Quiz 38: PORTUGUÊS - 3ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO
Quiz 38: PORTUGUÊS - 3ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO

01
(3ª P.D - 2024).

Leia os textos abaixo e responda as questões 01, 02 e 03.

Texto 1

    Muito se discute acerca dos limites que devem ser impostos à publicidade e propaganda no Brasil – sobretudo em relação ao público infantil. Com o advento do meio técnico-científico informacional, as crianças são inseridas de maneira cada vez mais precoce ao consumismo imposto por uma economia capitalista globalizada [...].

    Logo, tornou-se essencial a produção de um marketing voltado especialmente para esse consumidor mirim – objetivando cativá-lo por meio de músicas, personagens e outras estratégias persuasivas. [...] Somado a isso, o impasse entre organizações protetoras dos direitos das crianças e os grandes núcleos empresariais fomenta ainda mais essa pertinente discussão. [...] Recentemente, a Conanda (Comissão Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente) emitiu resolução condenando a publicidade direcionada ao público infantil, provocando o repúdio de empresários e propagandistas [...].

    Com o intuito de melhor adequar os “consumidores do futuro” a essa realidade, e não apenas almejar o lucro, é preciso prepará-los para absorver as muitas informações. Isso pode ser obtido por meio de campanhas promovidas pelo Poder Público nas escolas [...], bem como a criação de uma legislação específica sobre marketing infantil no Brasil — fiscalizando empresas (prevenindo possíveis abusos) — além de orientação aos pais para que melhor lidem com o impulso de consumo dos filhos [...].

COSTA, Juan Costa da. Enem 2014: leia exemplos de redações nota 1000. In: O Globo. 2015. Disponível em: https://acesse.one/sY8VQ. Acesso em: 19 abr. 2018. Fragmento.

Texto 2

    A grande preocupação hoje, nas políticas públicas, é propiciar um melhor atendimento integral à criança, principalmente no que se refere ao desenvolvimento moral, social, político e cultural enquanto sujeito ativo e participante dos plenos direitos e deveres na sociedade, conforme as normas declaradas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

    Sabe-se que a educação, tanto nas escolas quanto no lar, é a melhor opção para se chegar a um objetivo promissor, além de promover o desenvolvimento integral da criança, porém tal fato tem sofrido mudanças ultimamente decorrentes do avanço tecnológico e de inovações ideológicas quanto à forma de aprimorar e preparar a criança, desde o nascimento, para receber as informações que há no mundo exterior. [...]

    Em relação à publicidade infantil, percebe-se que a tendência das empresas e fabricantes de produtos infantis é aumentar seus negócios [...].

    As escolas e, sobretudo os pais, devem orientar as crianças a tornarem-se bons consumidores, realizando a escolha certa do produto [...].

SOUSA, Rosely Costa. Enem 2014: leia exemplos de redações nota 1000. In: O Globo. 2015. Disponível em: https://l1nk.dev/sY8VQ. Acesso em: 19 abr. 2018. Fragmento.

Sobre a publicidade voltada para o público infantil, qual trecho do Texto 2 complementa a posição defendida no Texto 1?

A
B
C
D
E

A publicidade voltada para o público infantil, o trecho do Texto 2 que complementa a posição defendida no Texto 1 é “As escolas e, sobretudo os pais, devem orientar as crianças a tornarem-se bons consumidores,...”. (4º parágrafo)

Portanto, alternativa "E".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


02
(3ª P.D - 2024).

No primeiro parágrafo do Texto 2, para sustentar seu posicionamento, a autora faz uso de

A
B
C
D
E

No primeiro parágrafo do Texto 2, para sustentar seu posicionamento, a autora faz uso de discurso de autoridade.

Portanto, alternativa "C".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


03
(3ª P.D - 2024).

No Texto 1, no trecho “... objetivando cativá-lo por meio de músicas,...” (2º parágrafo), o termo destacado refere-se a

A
B
C
D
E

O termo destacado refere-se a um consumidor mirim.

Portanto, alternativa "B".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


04
(3ª P.D - 2024). Leia o texto abaixo.

NA FAZENDA DO VOVÔ!

    Ah! Enfim chegou o final de semana, e, mais uma vez, irei à fazenda do vovô. Amo visitá-lo, pois me divirto, me sinto livre, feliz e fico pertinho dos animais que existem por lá. Queria poder morar na fazenda com meu vovô, passar mais dias felizes assim, mas a mamãe já falou que não se acostuma com a calmaria da fazenda e que eu tirasse essa ideia da cabeça.

    Certo fim de semana, enquanto estava na fazenda tocando minha corneta, criei uma melodia tão linda, [...] tão linda, que alguns dos animais chegaram mais perto de mim para ouvir a canção. Não pensava que animais gostavam de música, mas eles gostam, sim. E por isso, todo fim de semana, quando vou à fazenda do vovô, levo minha corneta e toco para eles. É tão bom!

    — Nossa filho! Que linda canção! — Falou minha mãe certo dia.

    — Fiz essa canção para meus amigos da fazenda. — Falei.

    — Ela é muito linda. Quem são seus amigos? [...]

    — São todos esses animais. Toda vez que começo a tocar, eles chegam pertinho de mim para ouvir a canção.

    — Verdade, filho?

    — Sério, mamãe! Também fiquei surpreso no início, mas agora já estou acostumado com minha plateia.

    — Que lindo, filho, não sabia que animais gostavam de música.

    — Nem eu, mas eles gostam, sim. Os animais têm muita coisa para nos ensinar.

    — Verdade, filho, agora entendo sua felicidade quando vem para a fazenda do vovô. Realmente o que você vive aqui é algo mágico. [...]

PACHECO, Minéia. Na Fazenda do vovô. In: Minéia Pacheco. Disponível em: https://shre.ink/92vp. Acesso em: 24 jul. 2023. Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

Entende-se desse texto que

A
B
C
D

Entende-se desse texto que o menino planejava aprender a tocar novos instrumentos.

Portanto, alternativa "D".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


05
(3ª P.D - 2024). Leia o texto abaixo.

Dez patinhos

    [...] A historinha é simples e bem fácil de puxar a participação dos pequenos leitores. Tudo começa com nove patinhos que juntos nadavam ao sol. À medida que o livrinho avança, cada patinho se vê envolvido com outro objeto, algo para resolver ou outra coisa para fazer. E assim vamos contando as aventuras de cada patinho: um resolveu se secar ao sol, outro prendeu o pé num chiclete e parou para resolver a situação quando fugia de um gato, um deles se escondeu num buraco, até que todos os nove, depois de um dia de estripulias, voltam para casa, mas ganham um vizinho que correu para o ninho deles. O novo amiguinho é acolhido e agora são dez patinhos no lar.

    O que existe de bom nessa história? Tudo. [...]

Disponível em: https://encr.pw/N76Jm. Acesso em: 2 ago. 2023. Fragmento.

O trecho desse texto que apresenta uma opinião é:

A
B
C
D

O trecho desse texto que apresenta uma opinião é “A historinha é simples e bem fácil...”.

Portanto, alternativa "A".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


Leia o texto abaixo e responda as questões 06 e 07.

O Monza do meu pai, um chuveiro queimado e um dedo quebrado

    “No fim de 2008, indo de SP para BA de carro (3 dias e 2 noites), o Monza do meu pai resolveu dar pane elétrica e parou de funcionar os limpadores. Muito bem, se não estivéssemos no meio da rodovia, numa chuva torrencial. Meu pai amarrou duas cordinhas e ele e minha mãe iam puxando os limpadores até chegarmos a um hotel.

    Chegando nesse “hotel”, o lugar era beeem simples e malcuidado, com mofo pra todo lado. Quando fui tomar banho o chuveiro explodiu (kkkkk) [...]. Para completar o tour, já chegando na casa da minha avó, fechei a porta do carro no meu dedo. Quebrou, mas, como minha avó mora num vilarejo, não tinha médico, então passei a viagem toda com o dedo roxo, inchado e torto (ele é torto até hoje). Melhor viagem da minha vida! Hahahaha”.

ALEMIDA, Daniele. Disponível em: https://l1nq.com/Bq0vM. Acesso em: 22 set. 2023. Adaptado para fins didáticos.

06
(3ª P.D - 2024).

Nesse texto, as expressões “(kkkkk)” e “Hahahaha” são próprias da linguagem

A
B
C
D

Nesse texto, as expressões “(kkkkk)” e “Hahahaha” são próprias da linguagem digital.

Portanto, alternativa "B".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


07
(3ª P.D - 2024).

Nesse texto, a expressão “Hahahaha” foi usada para

A
B
C
D

Nesse texto, a expressão “Hahahaha” foi usada para indicar que a narradora faz um deboche sobre a viagem.

Portanto, alternativa "B".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


08
(3ª P.D - 2024). Leia o texto abaixo.

BON, Carlos Henrique Ruas. Disponível em: https://shre.ink/2YwJ. Acesso em: 25 ago. 2023. Fragmento.

Nesse texto, a repetição da palavra “comida” foi usada para

A
B
C
D

Nesse texto, a repetição da palavra “comida” foi usada para demonstrar entusiasmo.

Portanto, alternativa "A".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


09
(3ª P.D - 2024). Leia o texto abaixo.

Verão sem canudo

Oito estados já proíbem o acessório de plástico, mas é preciso fazer mais

    O verão de 2019-2020 deve ser o primeiro em que muitos brasileiros se depararão com a proibição de algo que antes era inseparável dos refrescos da estação mais quente: o canudinho de plástico.

    Levantamento [...] mostrou que oito estados [...] baniram o acessório em pouco mais de um ano. [...]

    Diversos municípios também tomaram a iniciativa de proibir os canudos: 80 cidades têm regras nesse sentido [...].

    Ambientalistas chamam a atenção para a poluição dos mares por plásticos há décadas, mas a luta contra os canudinhos em particular ganhou especial velocidade a partir de 2015, quando viralizou um vídeo feito por uma bióloga de uma tartaruga com uma dessas peças de plástico no nariz.

    Se leis não bastam para que os canudos sumam magicamente de restaurantes, bares, quiosques e padarias [...], os textos dos projetos acompanham um aumento da conscientização de parte dos brasileiros sobre o tema.

    Muitos já perceberam que não é grande sacrifício usar acessórios de papel, de metal ou mesmo de materiais naturais; ou simplesmente dispensá-los e tomar seu líquido direto do copo. Usados por poucos minutos, os canudos raramente são reciclados e podem demorar centenas de anos a se decompor.

    Mudança de comportamento similar aconteceu com as sacolinhas descartáveis plásticas há alguns anos.

    Obrigados por lei, mercados e outros estabelecimentos começaram a cobrar por elas. Depois da onda inicial de reclamações, muitos consumidores passaram a levar consigo às lojas suas sacolas retornáveis, caixas ou carrinhos de compras, sem grandes dificuldades.

    Ainda que sejam positivas as investidas contra um ou outro vilão da vez, a humanidade precisa repensar sua relação com o plástico, em especial aquele de uso único, logo descartado.

    São necessárias medidas mais drásticas e alterações de hábitos permanentes em todos os países para evitar que o oceano continue a ser tomado por milhões de toneladas de copos, pratos, sacolas, garrafas, brinquedos e tantos outros badulaques não biodegradáveis todos os anos.

Disponível em: https://acesse.one/qPTvK. Acesso em: 18 fev. 2022. Fragmento.

Qual é a tese desse texto?

A
B
C
D
E

A tese desse texto "é necessário o envolvimento da população para abolir o uso do canudo de plástico".

Portanto, alternativa "D".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


10
(3ª P.D - 2024). Leia o texto abaixo.

Lorax: em busca da trúfula perdida – Dr. Seuss’s the Lorax

    Hollywood sempre foi famosa por “atualizar” as histórias que conta nas telas. [...] Mas em nenhum caso eu me lembro de os realizadores terem se desculpado pelas mudanças. Aqui, começamos com uma estranha criatura chamada Lorax [...] dizendo: “Tem mais nesta história do que se encontra nas páginas”. Bem, ele nos avisou, não?

    Apesar de manter a moral da história, de fundo ecológico, o filme acrescenta muitas outras coisas que o autor não havia colocado em suas páginas. E talvez tenha tido um motivo para que ele não tenha colocado essas coisas: a maioria do que foi posto não é um material muito bom, e outra parte simplesmente não se encaixa muito com o espírito das histórias de Seuss.

    Começamos com o fato de, apesar de Lorax abrir o filme e dar nome a ele, não ser nem de perto o protagonista da história. Muito pelo contrário, é um personagem coadjuvante¹ com pouquíssimo tempo em tela. O personagem principal é Ted [...]. Ele é apaixonado por uma menina, Audrey [...], que gostaria de ver uma árvore, por isso o garoto sai da cidade de Sneedville para tentar encontrar uma, já que não há uma muda sequer no lugar [...].

*Vocabulário:

¹coadjuvante: que desempenha papel secundário.

RESENHA DE FILME. O Lorax: em busca da trúfula perdida – Dr. Seuss’s The Lorax. Disponível em: https://l1nq.com/imaAf. Acesso em: 16 mar. 2018. Fragmento.

Nesse texto, no trecho “E talvez tenha tido um motivo...” (2º parágrafo), o termo destacado estabelece uma relação de

A
B
C
D
E

O termo destacado estabelece uma relação de adição .

Portanto, alternativa "A".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


Leia o texto abaixo e responda as questões 11 e 12.

Os nossos jornais

    [...] o senhor Jaurès observou que os nossos jornais eram pobres no tocante a informações da vida do estrangeiro. Afora os telegramas lacônicos¹ naturalmente, ele não encontrava nada que o satisfizesse.

    Jaurès não disse que fosse esse o único defeito dos nossos jornais; quis tão somente mostrar um deles.

    Se ele quisesse demorar no exame, diretor de um grande jornal, como é e, habituado à grande imprensa do velho mundo, havia de apresentar muitos outros.

    Mesmo quem não é diretor de um jornal parisiense e não está habituado à imprensa europeia, pode, do pé para as mãos, indicar muitos.

    Os nossos jornais diários têm de mais e têm de menos; têm lacunas e demasias. [...]

    Há longas seções [...] de nenhum interesse [...].

    [...] Não se compreende que um jornal de uma grande cidade esteja a ensinar [...] como devem trazer as luvas, como devem cumprimentar e outras futilidades. [...]. Não há de ser com preceitos² escorridos diariamente, sem ordem, nem nexo – que um acanhado fazendeiro há de se improvisar em Caxangá. [...]

    Há muito que suprimir nos nossos jornais e há muito que criar. [...]

    Fico aqui e vou ler os jornais. [...] A famosa seção não abandona os conselhos. Tenho mais este: as damas não devem vir com toilettes³ luxuosas para a Rua do Ouvidor. Engraçado [...]! Não quer toilettes luxuosas nas ruas, mas ao mesmo tempo descreve essas toilettes. Se elas não fossem luxuosas haveria margem para as descrições? [...]

    Bem. Tomo outro. [...] Temos aqui uma seção interessante: “O que vai pelo mundo”. Vou ter notícias da França, do Japão, da África do Sul, penso eu. Leio de fio a pavio. Qual nada! O mundo aí é Portugal só e unicamente Portugal. [...]

*Vocabulário:

¹lacônicos: breves; curtos.

²preceitos: recomendações.

³toilettes: palavra francesa para se referir a vestimentas (roupas e acessórios).

BARRETO, Lima. Os nossos jornais. In: Vida Urbana. Domínio Público. Adaptado: Reforma Ortográfica. Fragmento.

11
(3ª P.D - 2024).

O contexto social a que esse texto faz referência é

A
B
C
D
E

O contexto social a que esse texto faz referência é a influência dos países europeus nos costumes brasileiros.

Portanto, alternativa "B".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)


12
(3ª P.D - 2024).

Entende-se desse texto que os jornais brasileiros

A
B
C
D
E

Entende-se desse texto que os jornais brasileiros circulavam por países do exterior.

Portanto, alternativa "B".

(Créditos da resolução: Prof. Warles)




Quiz 30: PORT. - 3ª Série (Ens. Médio)

Quiz 30: PORTUGUÊS - 3ª Série - Ensino Médio
Quiz 30: PORTUGUÊS - 3ª Série - Ensino Médio

01
(MEC-CAED - ADF). Leia o texto abaixo.

Cozinhar é um Dom

    Cozinhar é um dom. Cozinhar é uma arte. Quando fazemos parte de uma refeição bem-feita e organizada, parece que o ato de sentarmos à mesa fica mais alegre e gostoso. E a pessoa que cozinhou o alimento, sente-se orgulhosa e satisfeita. [...] É muito bom saber cozinhar, sentir o aroma dos temperos no ar, o cheirinho gostoso de comida tomando conta do nosso lar. É de dar água na boca. [...] Na minha opinião, as comidas mais saborosas são as mais simples, aquelas que fazem parte da nossa rotina diária. A comida tem o poder de nos animar, mesmo quando o dia parece chato. E é por isso que podemos dizer, que quem cozinha, além de se satisfazer com o resultado final de sua obra, também tem o dom de deixar seus consumidores mais felizes. [...] Enfim, por todos esses motivos, acho interessante irmos em busca, cada vez mais, de conhecimento sobre aquilo que nos torna felizes. A culinária pode proporcionar o sentimento de satisfação tanto de quem consome o alimento tanto de quem o faz. [...]

ALINE. Cozinhar é um Dom. In: Medium. 2016. Disponível em: https://bit.ly/30oJ0sW. Acesso em: 8 mar. 2021. Fragmento.

No final desse texto, no trecho “A culinária pode proporcionar o sentimento de satisfação...”, a forma verbal em destaque foi utilizada para

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Créditos da resolução: ??.)


Leia o texto abaixo para responder as questões 02, 03 e 04.

O calor volta a atingir o Sul essa semana? A resposta é sim!

    Você está se perguntando se o calor vai voltar a atingir o Sul? A resposta, infelizmente para aqueles que preferem o tempo ameno, é SIM. Nesta segunda-feira (31), ainda há potencial de chuva no Paraná e no leste de Santa Catarina, mas as máximas previstas em todos os estados já passam dos 30 graus.

    A partir desta terça-feira (01), a tendência é que o tempo fique mais seco e quente em todos os estados, com máximas aumentando e atingindo quase 40 graus no noroeste do Rio Grande do Sul — e fica ainda pior, na quarta-feira (02) as máximas podem ultrapassar os 40 graus no estado.

    A situação de calor extremo continua até esta quinta-feira (03), quando as máximas continuam atingindo valores em torno de 40 graus. Mas, felizmente, a chuva começa a retornar ao território gaúcho.

    Apenas entre os dias 05 e 06 de fevereiro, no próximo fim de semana, a chuva retorna de maneira mais generalizada para o Sul e alivia o calor. Mas, como o tempo pode variar localmente, não deixe de conferir a previsão para sua cidade [...].

MANENTE, Matheus. O calor volta a atingir o Sul essa semana? A resposta é sim! In: Tempo.com. 2022. Disponível em: https://bit.ly/3JrLvPz. Acesso em: 1 fev. 2022. Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

02
(MEC-CAED - ADF).

Nesse texto, no trecho “... para aqueles que preferem o tempo ameno,...” (1º parágrafo), a palavra em destaque significa

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Créditos da resolução: ??.)


03
(MEC-CAED - ADF).

Nesse texto, no trecho “... as máximas podem ultrapassar os 40 graus...” (2° parágrafo), a forma verbal em destaque foi utilizada para

A
B
C
D
E

    Alternativa "D".

(Créditos da resolução: ??.)


04
(MEC-CAED - ADF).

Nesse texto, o trecho que apresenta uma marca da parcialidade do autor é:

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Créditos da resolução: ??.)


Leia o texto abaixo para responder as questões 05, 06 e 07.

Vamos fugir com Calvin e Haroldo?

    Nem precisa ser criança para conhecer “Calvin and Hobbes”. Calvin é um menino [...] de seis anos e Hobbes é o seu tigre de pelúcia, mas que está muito vivo para o menino. Os dois são muito conhecidos para quem lê jornais e podem ser encontrados em livros didáticos. Quem nunca leu os originais em inglês deve estar se perguntando: mas não é Calvin e Haroldo?

    Pois bem, “Calvin and Hobbes” é uma série de tiras do norte-americano Bill Watterson, que também escrevia e ilustrava a obra. As tirinhas foram publicadas em mais de 2000 jornais pelo mundo entre a sua criação, em 1985, e o seu fim, em 1995. O nome “Calvin” é inspirado por João Calvino, reformador religioso do século XVI [...]. “Hobbes”, por sua vez, vem de Thomas Hobbes, o filósofo inglês do século XVII. [...] Quem estudou pra passar no vestibular ou pra mandar bem nas provas de filosofia provavelmente conhece as referências.

    Aqui no Brasil (e em Portugal também, conforme li) a obra foi nomeada “Calvin e Haroldo”, o que foi muito criticado pelos fãs, já que “Haroldo” não se refere a ninguém e, pelo jeito, só foi usado para deixar o nome mais simples aos leitores daqui.

    Comecei a ler Calvin e Haroldo [...] no último mês. Já havia lido em jornais e livros, mas nunca parei pra ler uma obra todinha deles. Estou encantada com a genialidade de Bill Watterson. Os quadrinhos, onde Calvin e Haroldo brincam, questionam os costumes, se aventuram e transformam a realidade em pura fantasia [...].

Disponível em: https://www.skoob.com.br/livro/resenhas/3611/mais-gostaram/mpage:2. Acesso em: 31 jan. 2022. Fragmento.

05
(MEC-CAED - ADF).

Nesse texto, o trecho “... pra mandar bem nas provas...” (2º parágrafo) apresenta uma linguagem que pode ser encontrada em

A
B
C
D
E

    Alternativa "A".

(Créditos da resolução: ??.)


06
(MEC-CAED - ADF).

Nesse texto, há uma marca de opinião no trecho:

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Créditos da resolução: ??.)


07
(MEC-CAED - ADF).

Nesse texto, no trecho “... também escrevia e ilustrava a obra...” (2º parágrafo), o termo em destaque foi utilizado para

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Créditos da resolução: ??.)


08
(MEC-CAED - ADF). Leia o texto abaixo.

Como comecei a escrever

    Aí por volta de 1910 não havia rádio nem televisão, e o cinema chegava ao interior do Brasil uma vez por semana aos domingos. As notícias do mundo vinham pelo jornal, três dias depois de publicadas no Rio de Janeiro. Se chovia a potes, a mala do correio aparecia ensopada, uns sete dias mais tarde. Não dava para ler o papel transformado em mingau.

    Papai era assinante da Gazeta de Notícias, e antes de aprender a ler, eu me sentia fascinado pelas gravuras coloridas do suplemento de domingo. Tentava decifrar o mistério das letras em redor das figuras, e mamãe me ajudava nisso. Quando fui para a escola pública, já tinha a noção vaga de um universo de palavras que era preciso conquistar.

    Durante o curso, minhas professoras costumavam passar exercícios de redação. Cada um de nós tinha de escrever uma carta, narrar um passeio, coisas assim. Criei gosto por esse dever, que me permitia aplicar para determinado fim o conhecimento que ia adquirindo do poder de expressão contido nos sinais reunidos em palavras.

    Daí por diante, as experiências foram se acumulando, sem que eu percebesse que estava descobrindo a leitura. Alguns elogios da professora me animavam a continuar. Ninguém falava em conto ou poesia, mas a semente dessas coisas estavam germinando. Meu irmão, estudante na Capital, mandava-me revistas e livros, e me habituei a viver entre eles. Depois, já rapaz, tive sorte de conhecer outros rapazes que também gostavam de ler e escrever.

    Então começou uma fase muito boa de troca de experiências e impressões. Na mesa do cafésentado [...], eu tirava do bolso o que escrevera durante o dia, e meus colegas criticavam. Eles também sacavam seus escritos, e eu tomava parte nos comentários. Tudo com naturalidade e franqueza. Aprendi muito com os amigos, e tenho pena dos jovens de hoje que não desfrutam desse tipo de amizade crítica.

ANDRADE, Carlos Drummond de. Disponível em: http://zip.net/bltdNR. Acesso em: 5 maio 2016.Fragmento.

Infere-se desse texto que o narrador

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Créditos da resolução: ??.)


09
(MEC-CAED - ADF). Leia o texto abaixo.

Disponível em: https://bit.ly/3gdshRi. Acesso em: 31 jan. 2022.

Nesse texto, as formas verbais “doe” e “multiplique” foram utilizadas para

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Créditos da resolução: ??.)


Leia o texto abaixo para responder as questões 10, 11 e 12.

Fóssil de pinguim gigante é descoberto na Nova Zelândia

    [...] O fóssil da nova espécie foi descoberto na Nova Zelândia, o mesmo país do papagaio gigante. O pinguim tinha um metro e 60 centímetros de altura e pesava de 70 a 80 quilos — medidas próximas às de uma mulher adulta, para se ter uma ideia.

    A nova espécie foi registrada por uma equipe de paleontólogos do Museu de Canterbury, na região norte do país. O Crossvallia waiparensis supera o pinguim-imperador, a maior espécie de pinguim atualmente. A ave ancestral é 40 centímetros mais alta e quatro vezes mais pesada que seu parente vivo.

    Os pesquisadores acreditam que o super pinguim tenha existido no Hemisfério Sul [...].

    A equipe não encontrou o esqueleto completo do animal, apenas alguns ossos das pernas, porém foi o suficiente para descobrir características valiosas do bicho. Os pés desempenhavam um grande papel na natação, mas talvez eles não estivessem adaptados a ficar de pé como os pinguins modernos.

    Esse não é o primeiro pinguim de proporções monstruosas a ser descoberto. O Crossvallia unienwillia foi encontrado na Antártica em 2000. Os dois viveram na mesma época, mas o fóssil mais recente ainda supera o outro: a nova espécie é 20 centímetros mais alta. [...]

    A Nova Zelândia possui uma grande coleção de aves monstruosas e extintas. O papagaio e o pinguim são apenas alguns exemplos. Lá também existia a águia-de-haast, com asas de três metros de comprimento, e uma espécie chamada moa, muito parecida com as emas brasileiras — a diferença é que a moa media mais de três metros e meio de altura. Pois é: com essas “super aves”, melhor pensar duas vezes antes de reclamar dos minúsculos cocôs de pombo.

ROSSINI, Maria Clara. Fóssil de pinguim gigante é descoberto na Nova Zelândia. In: Superinteressante. 2019. Disponível em: https://super.abril.com.br/ciencia/fossil-de-pinguim-gigante-e-descoberto-na-nova-zelandia/. Acesso em: 4 fev. 2022. Fragmento.

10
(MEC-CAED - ADF).

Nesse texto, no trecho “... talvez eles não estivessem adaptados a ficar de pé...” (4º parágrafo), a palavra em destaque foi utilizada para

A
B
C
D
E

    Alternativa "C".

(Créditos da resolução: ??.)


11
(MEC-CAED - ADF).

Qual é a informação principal desse texto?

A
B
C
D
E

    Alternativa "B".

(Créditos da resolução: ??.)


12
(MEC-CAED - ADF).

Um trecho desse texto em que há uma marca de parcialidade do autor é:

A
B
C
D
E

    Alternativa "E".

(Créditos da resolução: ??.)