Meus seguidores

domingo, 1 de janeiro de 2017

Quiz 15: PORTUGUÊS 5° ANO

Quiz 15: PORTUGUÊS 5° ANO
QUIZ 15: PORTUGUÊS 5° ANO

1. (PROEB). Leia o texto abaixo.

Pé da Letra

    Oi, gente!

   Meu nome é Alessandra. Lelé, para os íntimos. Eu gostaria que o meu apelido fosse Sandra ou Leca, mas a turma prefere Lelé. Acho que é por causa de uma mania que eu tenho de levar tudo ao pé da letra.

   No meu quarto, tem um A enorme desenhado na parede, com pezinhos e tudo, e é aos pés dele que eu coloco todas as minhas ideias e problemas, escritos em minúsculos bilhetinhos. No fim do dia, minha mãe joga tudo fora. Ela vive reclamando:

   – Seu quarto é um depósito de lixo! [...]

   Meu pai acha que levar tudo ao pé da letra é uma grande bobagem, mas eu não dou o braço a torcer! Já imaginaram que feia eu iria ficar com o braço todo torcido? Fora a dor, claro!

   Ih! ... Falando no meu pai, daqui a pouco ele entra no meu quarto. E se me encontra escrevendo em vez de estudar, entro numa fria! Acho que vou até me prevenir, colocando uma malha. Basta ficar frio pra eu me resfriar.

   Então, até já!

PERLMAN, Alina. Ao pé da letra. 5 ed. São Paulo: Scipione, 1996, p. 2. * Adaptado: Reforma Ortográfica.

De acordo com esse texto, a mania de Alessandra é


2. (PIP – II – MG). Leia o poema.

O CADERNO

Sou eu que vou seguir você

Do primeiro rabisco até o be-a-bá.

Em todos os desenhos coloridos vou estar:

A casa, a montanha, duas nuvens no céu

E um sol a sorrir no papel.

(...)

O que está escrito em mim

Comigo ficará guardado, se lhe dá prazer.

A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer.

Só peço a você um favor, se puder:

Não me esqueça num canto qualquer.

(Mutinho eToquinho, letra retirada do site http://www.toquinho.com.br)

A expressão “A vida segue sempre em frente” indica que, na vida, tudo


3. (SAEPI). Leia o texto abaixo.

Belo Horizonte, 08 de agosto de 2007.

Ana Carla:

Que saudades!!!

    Há quanto tempo não nos vemos... Fiquei muito feliz com seu telefonema na semana passada!!! Você se mostrou radiante por estar lecionando para crianças do primeiro ciclo!!! Tenho certeza de que seus alunos também devem adorar seu jeito meigo de ser.

    Pensando em você e nos seus alunos, envio junto com esta carta um livro. É um presente. Gostaria que lesse O curumim que virou gigante, de Joel Rufino dos Santos. As ilustrações, de Lúcia Lacourt, enriquecem o texto e são simplesmente maravilhosas!!! Que livro sensível!!!

    É uma lenda. Com uma narrativa leve, explica-se o surgimento do Corcovado no Rio de Janeiro. O Curumim que virou gigante nos fala do desejo do indiozinho Turamã de ter uma irmã. E de tanto querer, ele passa a viver como se realmente tivesse uma irmã. Em tudo o que faz, ele se lembra dela e traz presentes para agradá-la. Até que um dia, acontece algo que faz Turamã sair de sua aldeia mundo afora... O final é surpreendente.

    Espero que você goste do livro e o use em suas aulas com as crianças.

    Com carinho,

    Luciana Cassimiro

Livros e cartas como um presente. Kit de literatura afro-brasileira. 2007, p. 116.

De acordo com esse texto, Ana Carla é uma


4. (SEDUC-GO). Leia o texto abaixo e responda.

Disponível em: http://meninomaluquinho.educacional.com.br/ PaginaTirinha/PaginaAnterior.asp?da=10032009%3E. Acesso:03/05/2012

A expressão e a fala da menina no primeiro quadrinho sugerem que ela


5. (Sobral – CE). Leia o texto e responda.

Irene no céu

  Irene preta

  Irene boa

  Irene sempre de bom humor.

  Imagino Irene entrando no céu:

  – Licença, meu branco!

  E São Pedro bonachão:

  – Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.

Manuel Bandeira

O assunto do poema é


6. (SEDUC-GO). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda.

A girafa sem sono

    Naquela noite, enquanto todos os animais da floresta já estavam dormindo há muito tempo, a girafa andava pra lá e pra cá e não conseguia pegar no sono.

    — É falta de um bom travesseiro! — falou uma árvore que estava lá perto. — Mas eu tenho um sob medida para você. É só encostar sua cabeça no meio destes dois galhos e você dormirá sossegada até o dia amanhecer.

    — É verdade! Como é que eu não tinha pensado nisso! — disse a girafa, e encostou a cabeça no meio dos dois galhos da árvore.

    Mas logo em seguida pensou: “Eta travesseiro duro que eu arranjei! Nunca vou conseguir pegar no sono com um travesseiro tão duro como este".

    — Que tal, então, você encostar a cabeça em alguma coisa mais fofa e macia, para dormir e ter os mais lindos sonhos da sua vida? — falou uma nuvem que estava de passagem.

    — É verdade! Como é que eu não tinha pensado nisso! — disse a girafa e encostou a cabeça na nuvem.

    Mas logo em seguida pensou: ”E se essa coisa fofa e macia derreter e virar chuva, onde vai parar minha cabeça? Nunca vou conseguir pegar no sono com um travesseiro tão mole como este”.

LACOCCA, Liliana. A girafa sem sono. São Paulo, Ática, Coleção Labirinto.

O que deu origem à história narrada foi o fato de


7. (SEDUC-GO). Leia o texto abaixo.

Cuidado

    Depois da chuva, o menino vestiu uma roupa azul muito bonita e saiu todo alegre para brincar.

    A mãe avisou:

    — Cuidado! A roupa é nova, não vá se sujar.

    Pouco depois o menino voltou com a roupa suja de lama. A mãe, zangada, falou:

    — Mas você não sabia que a roupa estava limpinha? Que roupa custa dinheiro? Será que você não sabe que menino educado não fica deste jeito?

    — Tudo isso eu sei. O que eu não sabia é que o carro ia passar bem na poça d’água e jogar lama em mim.

O menino ficou sujo de lama porque


8. (SEAPE). Leia o texto abaixo.

Agenda

    Em 29 de julho, ocorre o 2º Congresso Brasileiro de Educação, em Bauru, a 321 quilômetros de São Paulo, organizado pela Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Mais informações em www.2fc.unesp.br/cbe.

Nova Escola, jun./jul. 2009.

Esse texto serve para


9. (Portaldoprofessor). Leia o texto abaixo.

TURMA DA MÔNICA EM “ÁGUA BOA PARA BEBER”

O assunto da história em quadrinhos acima é


10. (SPAECE). Leia o texto abaixo.

Encurtando o caminho

    Tia Maria, quando era criança, um dia se atrasou na saída da escola, e na hora em que foi voltar para casa já começava a escurecer. Viu uma outra menina passando pelo cemitério e resolveu cortar caminho, fazendo o mesmo trajeto que ela.

    Tratou de apressar o passo até alcançá-la e se explicou:

    – Andar sozinha no cemitério me dá um frio na barriga! Será que você se importa se formos juntas?

    – Claro que não. Eu entendo você – respondeu a outra. – Quando eu estava viva, sentia exatamente a mesma coisa.

LAGO, Ângela. Sete histórias para sacudir o esqueleto. 2. ed. Companhia das Letrinhas, 2008. p. 15-16.

No trecho “Viu uma outra menina passando pelo cemitério (...)”, a expressão destacada dá ideia de


11. (PROMOVER). Leia o texto abaixo.

PIADINHA

    O Joãozinho estava vendo um álbum antigo e perguntou para a mãe:

    – Mãe, quem são esses dois aqui nessa foto? Essa moça de branco e esse cabeludo de bigode ao lado dela?

    E a mãe explicou:

    – Sou eu e seu pai!

    – Esse é que é papai? – Perguntou o menino, assustado. – Então quem é esse careca que mora com a gente?

Ziraldo. Anedotinhas do Bichinho da Maçã. São Paulo, Melhoramentos, 1988.

O trecho que revela o humor no texto é


12. (SEDUC-GO). Leia os textos abaixo.

TEXTO 1

Não deixe seu melhor amigo com raiva

    A vacina contra a raiva protege seu animal, evitando que ele fique doente e ameace a saúde de sua família.

    No dia 28 de setembro, a Secretaria Municipal de Saúde realiza a Campanha Antirábica Animal.

    Procure o posto de vacinação mais perto de sua casa, levando seu cachorro ou gato, no horário de 9 às 17 horas.

Prefeitura Municipal de Betim. *Adaptado: Reforma Ortográfica.

TEXTO 2

Mordida de cão, gato, rato e cia.

    De repente, o cachorro do vizinho ou um vira-lata não simpatiza com seu filho e lhe dá uma mordida. O que fazer? Primeiro, acalme-se e veja o estrago. Depois de cuidar do ferimento da criança, passe a prestar atenção no animal.

    Se for possível, observe como se comporta o animal (esta observação pode mudar tudo). Por exemplo: se o animal não puder ser observado para saber se está com alguma doença, o esquema de vacina contra a raiva deverá ser o mais rigoroso possível. Por outro lado, se o animal, depois de 10 dias de observação, permanecer saudável, a criança poderá se livrar de um esquema vacinal na maioria das vezes longo, cansativo e doloroso.

    Em todos os postos de saúde do Brasil você pode encontrar o esquema de vacinas contra raiva. Recomendado pela Organização Mundial de Saúde, baseado no local da mordida, na gravidade da lesão e nas condições de saúde do animal.

Ziraldo e Dr. Tuta. Manual de sobrevivência do MeninoMaluquinho. Porto Alegre:L&PM, 1997. p. 40-41. *Adaptado: Reforma Ortográfica.

O assunto desses dois textos é




Nenhum comentário:

Postar um comentário